Casamento arranjado ou por amor?

De Mandurai seguimos para Tanjore, uma outra cidade de um templo ainda mais maravilhoso e patrimonio da Unesco. Fomos ate a rodoviaria decadente local e pegamos um onibus podrasso com uma televisao que nao combinava em nada com o ambiente. Sete horas depois chegamos em Tanjore. Instalados, fomos para o templo. Um choque a obra, simplesmente maravilhosa, toda de pedra e cor de mel que da uma beleza inigualavel. Como o templo ficava bem no comeco da cidade, longe do centro, era arejado, silencioso e com uma gostosa atmosfera de paz que abencoava o lugar.

Aproveitamos entao para participar do ritual junto aos fieis e receber a bencao de Shiva, para conhecer como funciona. Como Shiva ‘e o destruidor eles usam sempre o fogo para representa-lo nos templos. As pessoas formam uma fila para recebe-lo e no altar o brahamane cuidador do templo segura uma pequena labareda de fogo, onde os devotos encostam como se tivessem pegando o fogo para eles e passam sobre a cabeca descendo ate o coracao. Depois o brahmane faz o terceiro olho na testa de cada um em cor vermelha, que ‘e a cor de Shiva. Os mais devotos, usam na testa as tres listras horizontais vermelhas que representam Shiva. Parenteses: quando voce segue vishnu, sao geralmente tres listras verticais e brancas, pois ele ‘e o protetor e mantenedor, lembram?

Gui e o Bramane

Apos o ritual, fomos sentar no gramado do templo para apreciar o fim de tarde. Em poucos segundos estavamos rodeados por indianos nos bombardeando de perguntas, querendo nos conhecer, tirar fotos com a gente e tudo mais. Eles sao muito legais e principalmente curiosos!

Bate papo

Acabei logo engatando uma conversa interessantissima sobre os casamentos na India. Eram duas jovens mulheres, recem casadas, acompanhadas da mae de uma delas. O papo comecou, pois elas se interessaram em saber se eu e o Gui eramos namorados e falamos que eramos casados, mostramos a alianca (la eles usam a alianca no pescoco preso no colar). O fato de sermos casados para eles da todo um respeito diferente e eles ficam alegres de saber que existem jovens ocidentais casados, pois a maioria dos estrangeiros que vem para ca contam que moram junto, e isso ‘e simplesmente uma aberracao aos olhos hindus e ja explico melhor por que.

Nos perguntaram entao se o casamento era arranjado ou por amor. Na India mais de 90% dos casamentos sao arranjados, independente da classe social, pois se as castas sao importantes para sua nocao de identidade e do que voce pode oferecer ao mundo (um brahmane pode oferecer sabedoria, um shatria pode oferecer justica e assim por diante), ‘e natural que como consequencia os casamentos sejam arranjados. Eles simplesmente seguem o mesmo modelo. Vao buscar uma pessoa para se casar que seja da sua casta, da sua religiao, que sao suas principais tradicoes e valores. Nao ter essa preocupacao significa correr o risco de perder sua identidade, valores e tradicoes nessa relacao.

E o trabalho ‘e arduo e demorado, pois arranjar um casamento envolve tempo e dedicacao. A India comporta mais de 100 linguas locais, e o Indi que ‘e a lingua oficial, mas somente 20% da populacao fala como segunda lingua. Essa ‘e primeira barreira, achar um marido que fala sua lingua! Depois se ‘e da mesma religiao e casta; se o sujeito segue o hinduismo, por exemplo, ele devera optar por ser um shivaita ou vishnuita. Entao nao basta ter a mesma religiao, tem que seguir o mesmo Deus principal. O pais tem uma diversidade religiosa imensa: muculmanos, sikhs (que sao uma derivao do hinduismo), janeistas (que o fundador foi contemporaneo de Buda), budistas e cristaos (em menor quantidade), sem falar do zorastrismo, mas este sao realmente num numero pequeno. E por fim, tem que cruzar o mapa astral e ter a aprovacao do guru para ver se a relacao dara certo.

No caso dessas mocas, por exemplo, elas estavam contando a trabalheira para arranjar o marido. Primeiro sao os pais que vao buscar na vila ou regiao onde moram, buscam as boas familias de referencia e ‘e claro a mesma casta e religiao, se falarem a mesma lingua melhor ainda. Depois apresentam o futuro casal um ao outro rapidamente e se eles se gostarem vai o mapa astral para o guru cruzar e dizer se funcionariam juntos, se a relacao seria saudavel para ambos.

Em muitos casos, a noiva so conhece o noivo no dia do casamento, esse costume ‘e mais presente nos casamentos arranjados entre os muculmanos. Quando a moca casa ela passa a morar na casa da sogra com o marido e a ser cuidada por ela.

No caso das duas mocas (mae, filha e cunhada), a filha ainda nao era casada. A cunhada se apaixonou pelo futuro marido, mas ela era muculmana e ele hindu. Como eram da mesma casta e as familias se conheciam, com muito esforco dos dois e muita conversa com os pais, ela se converteu ao hinduismo. Mas esses casos sao excessoes, geralmente diferencas religiosas sao impasses irremediaveis. No caso dos casamentos por amor, como esse, nao adianta mais o guru fazer o mapa astral, pois o casal ja esta apaixonado e o que pode ser visto no mapa acabara por influenciar, entao nao tem mais validade. O mapa deve ser feito quando o amor ainda nao existe.

Dai as meninas me perguntaram: e no seu pais, o que voces precisam ver para poder casar? Quantas religioes voces tem? E linguas? E castas? Disse entao que nao tinhamos nada, que a maioria esmagadora era crista e ainda uma maioria tb esmagadora era catolica, e que so tinhamos uma lingua e nenhuma casta e que ainda podiamos escolher e apresentarmos para nossos pais. Elas falaram: nossa que paraiso, que facil que ‘e casar no seu pais! E eu pensei comigo: “ ‘e verdade, nunca tinha me dado conta disso. E a gente ainda reclama rsrsrs!”

Aqui vale fazer uma relacao com a nossa forma de lidar com casamento. Em nossos paises livres, somos embalados pela maxima “os opostos se atraem”, mas ca entre nos, a gente sabe que nao ‘e bem assim. Se fosse, nao haveriam tantos divorcios. E nao falo de problemas de egos, porque isso apesar de causar muito divorcio no ocidente, ainda sao so egos que nao sabem o que estao fazendo, mas falo da crenca por tras desta nocao de liberdade tao presente.

A crenca de que nao precisamos de nada, alem de nos mesmos para fazer escolhas, pois somos nosso proprio senhor e guardiao. Tradicoes e religiao ou qualquer coisa que nao va de encontro com o que queremos so atrapalham essa liberdade… Acreditamos que precisamos fazer o que o nosso coracao manda e duvido que muitas dessas pessoas sabem quando ‘e a voz do coracao que esta falando… Fico eu pensando se a gente sabe mesmo o que quer e se somos tao poderosos e onipotentes assim. Esta foi uma das minhas grandes sacadas observando como vivem as pessoas no Oriente.

Os hindus dizem que todo o ser humano precisa de 4 coisas fundamentais na vida para ser verdadeiramente humano e feliz: alimentacao; estetica (no sentido de que nao gostamos de comer qualquer coisa, precisa ter algum sabor, nao gostamos de morar em qualquer canto, precisa ter algum conforto….); lei e religiao (Deus)! Sera que boa parte do ocidente se esqueceu da ultima? E sera que estamos confundindo religiao e tradicao com lei e por isso tanto pavor? E sera que para aqueles que ainda buscam Deus nao estao buscando um Deus que se adapte ao que eles sao? Esta parte me agrada no Budismo, aquela ali no hinduimo, aquele pedacinho ali no sufismo, junta todo o quebra cabeca e no final voce tem quem? Voce mesmo!

Anúncios

2 comentários em “Casamento arranjado ou por amor?

  1. Olá querida!
    On line, vc aí, certamente num lugar mais quente que eu aqui, no frio com um vento quase polar. Acabei de ligar o aquecedor pela primeira vez este ano. O inverno chegou cedo.
    Que relações complicadas estes casamentos! Em certas coisas o estilo de vida ocidental ganha – juntou e pronto! Vc tem acompanhado a queda da igreja católica? Ontem a chamada da Folha era emblemática: “Os crimes da Igreja”. Cara! Quem diria que o dia de cair as máscaras chegaria tão rápido para o vaticano. Agora, espertos que são, adotaram um discurso politicamente correto – pedofilia tem que ser punida, etc, apesar de terem acobertado tudo por séculos e séculos, amém!
    Saudades. Beijão.

    • Sol querida!!!

      Que saudades que estou do vendo polar. ‘E tanto calor em todos os lugares, que cansa.
      Agora estamos em Israel, o calor daqui ‘e quase frio para o que a gente tava vivendo na India.
      Saudades de vcs! Da lareira, do apto mais aconchegante do mundo. Que noticia triste essa da Folha.
      Beijos enormes
      Bibi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s