Purificacao!

Os dias no ashram do Ramana foram bastante intensos. Apesar de tranquilos do ponto de vista da nossa rotina que basicamente consistia em participar dos pujas e descansar no ashram, o contato com os ensinamentos de Mararish foram aos poucos mexendo comigo.

Conhecemos um casal russo que mora em Nova Yorque ja ha muitos anos que foram otimas companhias para gente durante todo periodo que estivemos la. Eles sao praticantes de sufismo e levam uma vida de certa aspiracao espiritual que me encantou encontra-los e poder partilhar desses assuntos. Conhecemos sempre mochileiros muito legais, sao sempre boas experiencias em geral, mas sao raros os que eu posso conversar sobre isso. A Marinda holandesa foi uma delas, pois tambem escolheu essa viagem de um ano pelo mundo em partes por essa razao. A Silvia, alema, apesar de nao ter vindo viajar por isso, foi uma pessoa que pude partilhar bastante em Myamar sobre meus pensamentos a respeito do que estava descobrindo e que me ouviu como poucos e aproveitou para ela. Enfim, tudo para dizer que foi bom encontrar os russos e poder conversar sobre essa aspiracao.

Um dia resolvemos juntos participar de um ritual de troca de energia, onde tinha uma professora que havia aprendido o tal ritual com um casal hindu, que ensina que atraves da troca de energia positiva entre as pessoas podemos melhorar o mundo (assassinando um pouco teoricamente o sentido daquele ritual, pois a tal professora nao explicou bem). Mas fomos para conhecer! Eu gostei da experiencia, mas achei a explicacao da professora muito vazia e pobre para poder ver valor naquilo. Primeiro porque nao acredito que podemos melhorar o mundo de forma definitiva, segundo porque nao acho que o mundo ‘e mal, acho que ‘e bom e mal, pois todos os valores do mundo carregam sempre dois aspectos ambiguos, terceiro porque nao acho que ‘e nosso papel.  Entao para mim, ja na largada a experiencia nao era minha cara.

A tal professora disse que apos o ritual alguns sentimentos fortes poderiam vir a tona e que era para gente nao julga-los, simplesmente deixar vir. E veio. Nao sei se pelo ritual ou porque eu ja estava ha tempos para explodir internamente e chegou o terremoto. Faziam varios dias que estava cansada fisicamente da rotina da viagem, de me mudar, de fazer a mala, de conhecer novos lugares, alem de internamente estar atravessando mudancas permanentes ao mesmo tempo que conhecia um novo lugar. E estava faltando espaco para trabalhar com duas coisas tao contrarias, o processo de digerir e de ingerir.

No dia seguinte depois do templo explodi, gritava de cansaco e nao queria mais sair do lugar, queria ficar no ashram parada por meses. O russo tambem concidentemente ou nao teve um acesso forte apos o ritual. Eu e o Gui conversamos bastante e tentamos encontrar um caminho que fosse bom para os dois, afinal essa viagem ‘e nossa  e a minha explosao serviu para enxergar melhor os meus limites e tambem para nos reorganizarmos. Mas precisavamos seguir, pois queria chegar ate meados de abril em Rishikesh, onde finalmente ficaria no ashram que tinha reservado.

Seguimos entao para Hampi, uma cidade cercada por ruinas sagradas de tirar o folego. Alugamos uma moto e fomos conhecer o lugar. Final do dia cheguei no hotel me sentindo fraca, havia comido algo que me fez mal e acabei passando 5 dias internada no quarto do hotel. Podia tomar remedio, mas nao sentia vontade, queria que meu corpo fizesse o processo por si mesmo. Sabia que no fundo aquilo era porque eu precisava parar quieta e nao so ter um acesso de choro e ficar por isso mesmo.

Passei 5 dias lendo os tres livros do Ramana e as reacoes que sentia eram muito fortes. Meditei e rezei todos os dias e sentia meu corpo e mente se reorganizando, uma sensacao de limpeza e purificacao.  Minha mente ao final dos cinco dias estava quietinha, quase nao tinha coragem mais de falar, tamanha era a harmonia que sentia, corpo-mente-alma todo mundo falando a mesm lingua, pelo menos ate Ajanta e Elora.

Anúncios

Um comentário em “Purificacao!

  1. Verdade Bibi!
    Sua experiencia faz recordar…

    …quantas vozes falam em nossa mente,parece uma assembleia: nossos pensamentos,e pensamentos alheios… nossos sentimentos, e sentimentos alheios…parecem disputar razões entre si e se amontoam, entulham espremendo uns aos outros promovendo duvida,etc.; silencio é o melhor “remédio”…ou um atofirme pra colocar ordem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s