Despedida da viagem!

Uma hora a nossa viagem tinha que acabar. As coisas tem fim, ne!! A gente nao fica pra sempre crianca, nem adolescente, nem adulto, nem velho e nem vivo. A vida ‘e feita de momentos… alguns preciosos, outros descartaveis, mas mais do que momentos, epocas ou idades, a vida ‘e para ser feita de Sentido.

Depois de quase 20 meses, quando essa viagem comecou no plano administrativo – comprar passagem, organizar as contas, encerrar projetos e fechar a casa e, depois, em junho de 2009 quando ela efetivamente comecou, foram 13 meses de estrada.

Quando olho para tras e vejo todo o caminho percorrido me emociono. Foram tantas aprendizagens, tanto choque de mundo (valores) e tantos momentos especialissimos, que so quando lembro da pessoa que embarcou e depois desembarcou no Brasil ‘e que tenho de fato a visao clara de tudo que essa viagem significou.

Pra quem acompanhou o blog, deve ter notado que durante todo o tempo, nos nunca trabalhamos e nem buscamos oportunidades de trabalho. E justamente por isso, ao longo de todos esses meses, nao fizemos parte de nenhuma ordem social, de nem um grupo, de nenhum contexto. Eramos sempre turistas! E essa experiencia tao peculiar nos fez enxergar a  vida de fora,  suspensa em nossas memorias e nossos comportamentos automotizados.

Com o tempo, fomos percebendo, como ‘e nao pertencer a nada. Porque esta ordem social na medida que  ‘e necessaria, ela te protege e ao mesmo tempo ilude. A melhor figura ‘e de um aquario (usada como imagem tambem pelo Gui para encerrar a viagem). N’os peixes, vivemos ali, interagindo com tudo o que esta dentro do grande aquario e, principalmente, do nosso espaco no aquario (nosso trabalho, familia, amigos, vizinhos, meio social, etc). Pela televisao/revistas, acompanhamos um pouco o que acontece la fora, mas numa perspectiva tambem de peixes e interpretada pelos outros peixes. Quando alguma coisa errada ocorre nas nossas vidas, uma morte, uma doenca terrivel ou surpresas devastadoras que passam levando tudo, paramos assustados e perplexos dianta da vida, num tom de “o que ‘e isso, o que esta acontecendo?” A ilusao da protecao nos deixa surpresos como se a nossa vida fosse segura!!! Na verdade, podemos passar dessa para uma melhor ou pior (pra quem se aprofundar um pouquinho em qualquer religiao que seja sabera que a porta do “ceu” ‘e beeem estreita), todos os dias. Ao meu ver, essa deveria ser uma grande preocupacao na vida humana!

Nos sentimos tao protegidos e iludidos na vida de aquario, que parece que dentro dela tudo ocorre mais ou menos bem, os imprevistos sao sempre previsiveis, se formos pensar bem, inclusive o mal (faz parte ser assaltado no Brasil, por exemplo), mas quando nao sao previsiveis, nos chocam.

Viver longe de uma ordem, de uma rotina de trabalho, de familia e de amigos; passando de um pais para o outro, soltos no tempo e no espaco, ziguezagueando por culturas e linguas diferentes, durante tantos meses, mexe. Mexe demais!

Com o decorrer da viagem a protecao vai embora e a ilusao tambem. Quando voce se da conta, esta totalmente despido. ‘E quando percebemos a fragilidade do fato de sermos seres tao relativos (relativos porque nao decidimos quando iremos morrer, nem ter uma doenca grave, nem quando a natureza ira se manifestar com terremotos, furacoes, nada nada…), parece que despertamos para uma nova realidade. A vida se torna profundamente consciente e responsavel!

E o tempo passa, os dias, as horas e os minutos passam. A vida passa! E o que de fato a gente fez no fim das contas?  Um sabio homem disse: “parece que a vida da maioria, se olhada instante a instante, parece mais como um esforco constante e em vao, para se resolver problemas imediatos, cujo sentido da vida nao se manifesta. So quando voce observa essa vida numa medida de anos, voce consegue encontrar algum sentido.” Porque se olharmos o sentido da nossa existencia humana, ela nao se maninfesta nos nossos atos de acordar, trabalhar, conversar, comer, dormir e celebrar. E viajar ‘e ter todo tempo do mundo para olhar para isso e experimentar o questionamento – de forma mais forte e consciente, ou mais fraca, dependendo do viajante – de afinal, qual o sentido da vida humana?

Eu, por exemplo, tinha tantas certezas quando comecei essa viagem, tantos sonhos e tantos planos para a vida. Sai para viajar tao cheia de tudo isso e voltei tao vazia! As ambicoes pessoais ficaram na estrada. A unica coisa que sinto pulsar em mim todo dia quando acordo ‘e uma imensa vontade de fazer esse sentido se manifestar nos meus atos. Essa foi a grande licao da viagem, para mim!

Uma velhinha de quase 90 anos, ao ser questionada sobre qual foi o sentido da vida dela quando olha para tras, falou: “eu andei atras na minha vida de tanta, tanta coisa, tanta coisa que eu nao precisava…”

Fim!

Anúncios
por tambemsai Postado em Brasil

6 comentários em “Despedida da viagem!

  1. Bibi querida…
    Percebo mais voce em seu blog que em um abraço maternal…
    Sinto voce mais num abraço afetuoso maternal que no blog…
    E assim filha a vida vai nos direcionando para nos sentirmos mais parte dela, com nossas escolhas.
    Para mim hoje o sentido da vida é pensar, sentir o divino em mim transubstanciando a parte humana, em uma aspiral constante…
    Escolho despertar minha consciencia adormecida pelas distrações e abstrações do cotidiano.
    Escolho celebrar a vida lendo seu blog identificando seu despertar, suas buscas no sagrado, nas transcendecias da própria vida em si.
    Com amor imenso beijo voce e sigo lendo voce…
    Sua mãe para sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s