Programa do Jô

Nossa entrevista no Programa do Jô foi ao ar nesta terça-feira dia 21/maio. Não tínhamos visto a gravação desde então, e foi muito bom poder ver a entrevista de fora. Eu e o Guilherme somos suspeitos, mas adoramos a entrevista.

Obrigada Renata Hidalgo pela sua doçura. Obrigada Jô por reconhecer meu companheirismo com o Guilherme. Obrigada Jami, Cá e Rê pela presença e parceira nos camarins, platéia e comemoração posterior. Obrigada a todos os amigos queridos que ficaram acordados até tão tarde para nos assistir e aqueles que assistiram no dia seguinte. Obrigada famílias pelo amor de sempre, e por todas as pessoas que deixaram comentários carinhosos em nossos blogs e página no face.

Para quem não viu ainda, segue o link: http://tvg.globo.com/programas/programa-do-jo/O-Programa/noticia/2013/05/bianca-soprana-e-guilherme-canever-contam-suas-aventuras-pela-africa.html

Bianca Soprana e Guilherme Canever contam suas aventuras pela África

Psicóloga e engenheiro florestal contam que largaram seus empregos para passar três anos viajando o mundo

22/05/2013 às 11h31
Atualizado em 22/05/2013 às 11h31

Guilherme Canever e Bianca Soprana são casados e passaram três anos viajando o mundo. Parte dessa aventura está relatada no livro “De Cape Town a Muscat: uma aventura pela África”, lançada pela editora Pulp.

Segundo o casal, a ideia da viagem partiu de Guilherme, que desde criança gostava de conhecer lugares exóticos por influência de seu avô. “O foco foi na África e na Ásia, mas também fomos ao sul da Europa”, contou o engenheiro florestal.

O casal contou que eles tiveram que deixar seus respectivos empregos e pegaram todo o dinheiro que tinham guardado para financiar a viagem. “Na verdade, não precisamos vender a casa, porque ela não era nossa”, brincou Bianca.

Guilherme Canever e Bianca Soprana no Programa do Jô (Foto: TV Globo/Programa do Jô)Guilherme Canever e Bianca Soprana no Programa do Jô (Foto: TV Globo/Programa do Jô)
Anúncios

19 comentários em “Programa do Jô

  1. Olá, gostaria de dizer que fiquei impressionado com a histótia de vocês. Qualquer pessoa que viesse a dizer que faz idéia do “turismo” que vocês viveram, estaria enganando a si própria (digo isso com base na convicção de que ninguém engana ninguém a não ser a si próprio(a). Vocês formam um belo casal e acredito que conseguiram passar a prova do fogo. Coragem, determinação, espírito de pessoas aventureiras são elementos em abundância na alma de vocês. Eu, particularmente, penso que morreria no meio do caminho, sem ser dramático ou já sendo, realmente deixo meus parabéns a vocês pela incrível expedição que percorreram. Coloco à disposição o e-mail que uso para eventual “feed”. Um grande abraço.

    • Oi Zeca,

      Poxa obrigada pela tua excelente percepção!! Voce realmente entrou em nossa alma e foi inteligente ao dizer que ninguém tem ideia do que foi, só quem faz um percurso e viagem parecida. Mas isso não impede de modo algum de tentar entender como foi conversando com a gente. Tem gente que nos diz “eu imagino isso e aquilo” mas não pergunta se é isso ou aquilo. Posso te dizer que eu também achava que morreria no caminho. Eu sempre fui muito cuidadosa com limpeza e essas coisas. E tomei banho quase todos os dias até o último dia dessa viagem, mas permaneci nela até o fim em circunstancias difíceis algumas vezes, então isso significa que deixei de ser exigente com muitas coisas, mas não perdi minha dignidade rsrs. É possível!! O ponto é sempre a razao de fazer a viagem, se a razao é forte, voce suporta todos os comos. A minha era fortíssima e inabalábel. Eu estava aprendendo muito, e isso era superior a qualquer questão física. Mas a hierarquia de valores e prioridades na vida das pessoas pode divergir muito, para mim o conhecimento/aprendizagem sempre está em primeiro lugar. Por isso tudo ser tornou possível, mesmo gostando taaaaaanto de uma cama macia, cheirosa e de um banheiro bem limpo.

      Um grande abraço tb e vamos falando!!

  2. Muito legal!
    Parabéns pela entrevista!
    Virei fã do casal e pretendo em alguns anos fazer o mesmo com meu namorado.

    Beijão.

  3. Yebo casal!
    Vi a entrevista no Jô, achei muito engraçado… Moro em Moçambique há alguns anos e conheço bem os países que vocês visitaram, é realmente muito peculiar… vocês não foram para o Zimbabwe, Victoria Falls?
    Morar por aqui é interessante, já peguei malária, tomei banho de caneca, fiquei dias sem eletricidade, achei uma black mamba na porta da geladeira, etc…
    Continuem com esse espirito…
    P.S. A história do Visa foi engracadissima!
    Tenho fotos bacanas no meu Instagram @agilizos

    • Oi Juliano!!!

      Muito engraçado mesmo, principalmente depois, porque aquele barco, por exemplo, se pudesse me jogava la de cima.
      Infelizmente não fomos para o Zimbabwe na época, ficou faltando. Essas experiencias de banho de caneca, etc, são muito interessantes. Agora pegar malaria imagino que não. Nossa, achei um dia durante a viagem que tinha pego, mas era só uma infecção, dizem que é terrível. A história do visa é o fim!! Eu rio por dentro cada vez que lembro da minha tatuzisse.

      Vou olhar suas fotos!!

      Abração

  4. Olá Bianca,
    Vi sua entrevista no Jô e achei muito legal … To convencendo minha namorada para fazer esse tipo de “aventura” também… hehehehe.. Na entrevista você fala que é de santa catarina, mas não fala qual a cidade … e tenho essa curiosidade de saber de qual município… pois também sou catarinense.

    abraços

    • Oi William,

      Se precisar de ajuda para convencê-la, me avisa, posso ajudá-la escutando os receios que ela possa ter e contando um pouco como as coisas são. Afinal com informação acurada é mais fácil decidir. Eu levei dois meses para me convencer que deveria ir quando o Guilherme propôs de verdade.
      Você também é de SC!! Que legal! Eu sou de Chapecó.
      Abração!!

  5. Oi Bianca, tudo bem?

    Meu marido viu a entrevista de vocês no Jô e como ele sabe que eu amo ler blogs de viagem, me passou o link para eu assistir. Adorei a entrevista e fui ver o Blog, primeiro o do Guilherme mas não queria ler muita coisa pois iria comprar o livro (vai chegar hoje…uhu!) e fui ler o seu e sinceramente precisava lhe dar os Parabéns, eu AMEI, não é somente um blog de viagens é muito mais, comecei a ler e não parei mais, já li tudo, sensacional, suas impressões, reflexões, precisa virar livro também.
    Ah! E estou torcendo pra rolar o Workshop em São Paulo.
    Parabéns! Sucesso a vocês!!!!

    bjs
    Vivi

    • Oi Viviane!!!

      Ai que delicia saber que você amou o blog. E que percebeu que ele é muito mais que um blog de viagem, pois justamente para mim, a viagem foi um pano de fundo de uma grande caminhada de transformação. Ela me ensinou muito através dos povos e do conteúdo cultural, e essa foi sua grande missão, mas tocou na minha subjetividade, no meu eu, e não teria como ser diferente, penso eu.
      O workshop está programado para agosto, estou em vias de fechar a data, com certeza ja fico com o seu nome para lhe avisar. Que bacana que você comprou o livro do Gui, você irá lê-lo num minuto. É muito bom. Depois de ver o dele, e tudo mais, também cheguei a conclusão que devo escrever, espero que em breve possa ter meu livro pronto.
      E você adora ler blogs de viagem, então gosta de viajar. Tem viajado?

      beijos

      Bianca

      • Oi Bianca,

        Realmente li rapidinho o livro do Guilherme e adorei, já estou esperando pelos próximos….
        Amo viajar sim, mas não tenho viajado tanto como gostaria (só nas férias) e por enquanto ainda não fui pra nenhum lugar tão diferente como vocês, mas a India está na minha lista de lugares que vou conhecer um dia e agora o Irã entrou na minha lista também, você me despertou a curiosidade de conhecer melhor esse povo….
        Espero que eu consiga participar do seu Workshop….
        Um grande beijo
        Sucesso!!!!…
        Vivi

  6. Bianca!

    Acabei de assistir a entrevista no blog da Globo e eu acredito que tenha sido cortado algumas partes, mas de qualquer forma eu gostaria de dizer que AMEI a entrevista, perfeita mesmo. E fiquei aqui vidrado porque eu penso sobre isso a muito tempo, e agora que vou me formar final do ano, vai ser o ponta-pé inicial. Eu até estava na dúvida quanto a fazer formatura que minha família quer e tudo o mais, mas agora meio que sumiu minhas dúvidas, não vou fazer e vou usar de fato a grana para viagens.

    Quando eu era pequeno eu pensava; gostaria muito de conhecer outras culturas e nunca me importei de fato com as questões materiais unicamente, sempre quis expandir minha consciência e acredito que uma viagem como a que vocês fizeram, em um dia devem ter expandido mais suas consciências do que cinco anos de faculdade. Enfim, estamos conectados, eu conheci vocês através desse blog http://meusdiasnaindia.wordpress.com/, não sei se conhece, mas um vai influenciando os outros e eu gostaria de agradecer pela influencia que essa entrevista já me deu, e que tenho certeza que a leitura do blog vai me dar mais.

    Como disse, acabei de ver o vídeo e ainda não li o blog então se eu perguntar algo que já tenha escrito sobre por favor me desculpe; mas eu gostaria de saber o seguinte. 1. Você já tinha algo assim em mente ou foi convencida pelo Guilherme e foi? 2. Como é a Somália? É que é engraçado nós somos cheios dos “pré-conceitos” sobre como são os lugares. 3. tem algum lugar que vocês gostariam de “parar” e ficar um tempo? E tudo isso em relação ao Brasil, como se sentem agora?

    Eu sempre pensei em viajar para países que as pessoas “não vão”, e minha vontade era e é justamente a de começar pela Africa do Sul, Singapura, Nova Zelândia, algo assim. Enfim, gostaria de repetir que amei a entrevista e tenho certeza que amarei o blog! Eu estou estudando para Diplomacia e tem um blog bem massa que o pessoal também dá suas visões sobre as culturas, não sei se conhece, mas se gostaria de dar uma olhada também -http://jovensdiplomatas.wordpress.com/ – enfim, é isso, espero que continuem com o blog e continuem com as viagens! Ah, outra coisa que não pode passar em branco, sei que já sabe mas gostaria de dizer, tu é muito linda! Parabéns.

    Diego Piha.

    • Oi Diego,

      Que bom saber que você amou a entrevista!!! A gente fica super feliz. Sinal que conseguimos passar um pouco, mesmo tendo contado mais sobre as histórias engraçadas, da grandiosidade que é uma viagem dessas. Se você ficou na dúvida se deve ir ou não, e fazer sua formatura, já fico realizada, porque se pudesse dizer, acho que uma viagem dessas antes de ir para o mercado de trabalho efetivamente, e começar a vida, é essencial. Muda tudo depois. Porque amplia tanto tua consciencia, como você mesmo disse, que amplia também tua imaginação quanto a possibilidades de vida para você, e pode mudar muito sua hierarquia de valores para a vida, e com isso, você pode ter um retorno ao Brasil depois completamente diferente. A viagem acelera muita aprendizagem de vida, que se você não for viajar, o unico jeito de acelar, é estudar muito literatura e filosofia… Claro que estar lá e ver, é diferente, mas tem gente que consegue abrir a cabeça bastante através de bons livros.
      Conheço esse blog é da Sthefania, por sinal estou lendo o livro dela. Quanto as suas perguntas: 1- O Guilherme que teve a ideia, mas ele não precisou me convencer, mas me mostrar que deixar para ano que vem, que foi o que sugeri, cada vez se tornaria mais difícil sair daqui. Eu nunca tinha pensado em fazer uma viagem dessas, não imaginava isso p/ minha vida, mas quando o Guilherme trouxe essa idéia, vi que era tudo o que eu queria e não sabia. Meses apenas com os pés na estrada vendo o mundo, experimentando ele, e estudando. Estudei muito durante a viagem Religioes Comparadas. É incrível como rende o tempo em viagem, sobra tempo, ninguém te liga, sem aniversarios, churrascos, jantares, nada, dá muito tempo p aprender, e exapansão de consciencia é o sinonimo de viajar, é claro que tem gente pode não aproveitar muito para expandir sua consciencia, com a mesma dose de sabedoria, uns ficam sábios outros não, mas se você quiser, a viagem dilatará diariamente sua consciencia. 2- Eu não fui para Somalia, só o Gui. Ele adorou, mas foi par Somalilandia, que é diferente da Somalia. Eu voltei ao Brasil por quase dois meses pois precisava encerrar algumas coisas e nesse período naõ estive com ele. Isso foi na época do leste da Africa, que vi 40% do que ele viu, o resto estive com ele. 3- Sua visao dos lugares muda tudo quando se conhece, é normal a gente generalizar as coisas que não conhecemos direito ou aderir a idéia formatadas que colocam na nossa cabeça, hoje a noticia vem muito pronta com o raciocínio, então é fácil fazer isso. Quebrei muitos preconceitos na viagem, como por exemplo, o Ira, o país que mais amei o povo. Nunca esperava. Quis morar em vários lugares: na India, em algumas cidadezinhas, na Indonesia, também, na Tailandia, nas montanhas no Irã, no Paquistão numas vilas, na Tanzania e na Jordania. Esses foram alguns dos lugares que quis muito, Todas em cidadezinhas ou vilas destes lugares.
      Eu deixaria Oceania para outra viagem, se estivesse no seu lugar, ao menos que você tenha tempo para trabalhar lá, ou dinheiro para estar lá. É mais caro, e é Ocidente, então não muda tanto. Mas deve ser lindo de morrer, eu nunca fui, é o que escuto de quem foi. Lindo lindo, mas culturalmente parecido. 4- Voltar ao Brasil no início é quase enlouquecedor, primeiro porque você fica os primeiros meses aterrizando e estranhando tudo, ter uma rotina, não falar e nem ouvir outra lingua, a desaprendizagem, porque não tem aquela sensação quase diária de dilatação da consciencia. Mas depois, se você for uma pessoa “encontrada”, pode se adaptar perfeitamente e se recolocar no Brasil numa nova posição, uma posição que esteja coerente com o que você é hoje. Falo encontrada, porque alguns voltam e ficam fixados em viajar, só conseguem ser feliz na estrada, eu sentiria isso tb, se não tivesse encontrado tudo o que eu estava buscando a vida inteira e encontrei na viagem. Mas nem todos tem essa sorte. Eu tive, porque busquei muito, suei a camisa estudando e tentando me rever e rever a vida, e pedi bastante, e fui atendida.
      Vou olhar o blog de diplomacia, mais perguntas, por favor, estou a disposição. Você mora aonde?

      Abração e obrigada!!!
      Bianca

  7. Bianca.

    Que legal tudo isso.
    Essa questão de consciência pra mim sempre foi muito importante, porque desde pequeno eu sabia que os grandes problemas da humanidade eram por ignorância, por ter apenas um tipo de pensamento e coisas do tipo, então eu pensava que queria viajar, conhecer outras línguas, outras pessoas, outras culturas, saber suas histórias, porque fazem o que fazem e como fazem, para expandir minha consciência e consequentemente tornar minha condição humana, menos limitada.

    É engraçado até, mas eu concluo que esteja no meu gene haha, meus avós (judeus) nasceram na Itália e então tiveram de migrar de lá você sabe muito bem porque, para o Egito, onde meu pai nasceu, mas não era muito seguro também e depois disso migraram para o Brasil, onde meu pai conheceu minha mãe – Chapecó – onde nasci e ainda moro, então eu criei uma teoria que eu preciso de movimento por natureza.

    O meu grande objetivo nisso, é um negócio que você falou muito bem; Compreender várias possibilidades de vida! Ou melhor, ter várias possibilidades de vida, a vida não é uma coisa só. A vida não é só trabalho, a vida não é só festa, a vida não é só amor, não é só ódio, não é só guerra, não é só paz, é tudo isso junto e mais um pouco, e não só não podemos como não devemos negligenciar algumas coisas em prol de outras, tudo deve ser observado e aprimorado.

    Eu acredito na evolução, temos que evoluir, temos que melhorar, a nós mesmos, o nosso país, a nossa qualidade de vida, nossa visão de mundo, nos tornarmos mais saudáveis e mais amáveis, menos intolerância, mais respeito às opções e tentativas individuais e coisas do tipo, então eu pensava em ir justamente pra fazer outro ponto que você colocou, que é voltar ao País melhor, voltar dizendo; pronto, agora me achei, agora vou seguir minha vida feliz!

    Quando a questões de literatura, sim, foi a única maneira que encontrei de sair dessa rotina e de expandir minha consciência. Através dos livros, mas sabe aquele filme que você ama tanto e que você assiste 3321321 vezes e sabe todas as falas, todas as caretas e todas as cenas e além disso você cria novas falas, novas cenas, novas atuações? Sim. Mas chego um momento que você não aguenta mais… Chega um momento que aquilo não te satisfaz mais, daí você vê outro filme e repetir mas aquilo não lhe satisfaz mais. Pois é, estou nessa fase.

    Não consigo mais sentir prazer única e exclusivamente com leituras, com filmes, etc. Preciso tocar, sentir, criar, correr, viver o negócio, e eu estou acabando a faculdade agora que era algo que eu precisava e sim, acho que agora chegou o momento de vazar e de viver tudo isso. Mas enquanto isso eu gosto de compartilhar, de conversar com quem já foi, o que viram, o que aprenderam, e eu amei mesmo ter encontrado vocês, e fico feliz pela resposta porque foi super atenciosa, então eu gostaria sim de continuar compartilhando ideias. É uma ótima ideia a questão do blog. E agora quero conseguir o livro do Guilherme.

    Há tanta coisa pra se ver e para se viver e muitas vezes ficamos ali, vivendo apenas uma faceta da vida, enquanto na realidade ela possui várias, vivemos ali correndo atrás de um osso e negligenciando toda a beleza que há ao redor, mas não é isso que quero pra minha vida. Ha, outra pergunta; você fala que durante a viagem conseguiu se encontrar, poderia falar um pouco mais sobre isso? Eu em determinado momento de minha vida tive a impressão de ter me “encontrado” em partes, sabe? Mas de estar indo pro caminho certo, mas eu sinto essa vontade de ir viajar para completar isso, então quer dizer que eu não estou “encontrado” ainda de fato. Se não for um problema gostaria de saber mais sobre isso, se você achava que tinha se encontrado, mas quando viajou descobriu que não era aquilo, e o que ocorreu que você concluiu agora me encontrei…. Muito obrigado pela atenciosa resposta!!! Beijos!

    • Oi Diego,

      Desculpe a demora. Você é de família judaica que bacana!!! Gosto muito da cultura judaica. Bom, acho que você compreendeu: também acho que uma hora a gente precisa sair dos livros e colocar o pé na estrada e sentir os cheiros dos lugares… Faz todo sentido! Mas as vezes tem uns indivíduos que conseguem ser mais cabeça aberta que muito viajante sem sair de casa, porque leram bons livros. Acontece também!
      Sobre a parte do se encontrar, acho que você também entendeu o que eu queria dizer. Eu achava que estava encontrada, mas não estava. A visão que eu tinha da vida, de mim mesma e do mundo me fazia achar que eu já tinha me encontrado. E eu ainda não tinha me deparado com questões fundamentais que só fui me deparar na viagem. Vida e morte. Imortalidade da alma. Deus. Mundo tradicional, mundo moderno. ocidente, Oriente, Etc, etc, etc. A viagem me convidou a pensar em tudo isso! Para mim, a vida começou, em um certo sentido, depois da viagem. E sigo buscando aproveitar como homo sapiens a oportunidade de estar viva. Admirável seu olhar e sua vontade pela vida.
      Abraçao
      Bianca

  8. Bianca, a pouco tempo li todo o blog do Guilherme e agora estou lendo o seu, estou adorando a versão feminina da viagem. acabei de ver a entrevista de vocês no programa do Jô e estou chorando de tanto rir.
    Eu e meu marido, faz tempo que estamos planejando uma viagem longa, no inicio era uma volta ao mundo, mas depois de conhecer o blog de vocês esta se tornando uma viagem à Asia… ainda tenho umas dúvidas de roteiros, é muito dificil encaixar as épocas do ano na rota, mas esta começando a encaixar, tem uns que não vai ter jeito, não vai ser a melhor época…

    Obrigada por compartilhar essa aventura…

    Abraços,
    Patrícia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s